Adicionando tempero à mistura

O quê? Quem? Como? Quando? Onde?

Que chatice! A fórmula tradicional do texto jornalístico, com base nessas cinco perguntas, inicialmente deu certo dinamismo à produção de notícias. Segundo alguns teóricos, conferiu objetividade às informações e foi um dos fatores responsáveis por fazer jornais venderem mais que pão quente. Mas essa fórmula tradicional, conhecida no jargão jornalístico como lead, foi tão exaustivamente explorada pelos redatores que hoje as notícias já saem com gosto de pão amanhecido.

Para inovar o texto jornalístico, um grupo de repórteres americanos – entre eles Gay Talese, que recentemente participou da Festa Literária Internacional de Paraty – desenvolveu um novo método de escrever reportagens: importando elementos da literatura, esse novo método não simplesmente noticia, mas sim, conta um fato. Com descrições de lugares e de personagens, diálogos, e com um narrador que conhece cada detalhe do acontecimento, a reportagem ganha sabor. Essa nova forma de escrever fez a reportagem parecer um conto ou um romance, por isso  ficou conhecida como Jornalismo Literário.

Para conhecer mais sobre esse novo estilo, não perca a coluna Ensaios Marginais, em que você vai conferir o tempero que faz o bom texto jornalístico. A cada quinze dias, aos domingos, a coluna Ensaios Marginais vai trazer reportagens no estilo literário e provar que não existem fronteiras para o bom texto jornalístico.

Rogério Dalbem

Colunista de Ensaios Marginais e editor de Cultura.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s