Fusões e crise: uma combinação perigosa

ECONOMIA
Coca-Cola e Matte Leão: agora, uma só família. Crédito: Giro News.

Coca-Cola e Matte Leão: agora, uma só família. Crédito: Giro News.

A crise mundial iniciada nos Estados Unidos continua a  fazer estragos no mercado e a diminuir a concorrência, princípio capitalista. A Coca-Cola continua sua expansão, com a compra da empresa de bebidas não-alcoólicas Leão Júnior, produtora do Matte Leão, em transação aprovada pelo Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica). A fabricante de chás faturou, só em 2008, R$ 158,9 milhões, o equivalente a 6356 carros populares. Um oásis para a Coca, uma miragem para nós, pobres mortais.

Assim, a empresa estadunidense amplia seu menu no segmento de bebidas sem álcool. Além da Leão Júnior e da cartela recheada de refrigerantes, como Fanta, Kuat e Sprite, a multinacional detém a brasileira Suco Mais e a Del Valle, compra à espera da aprovação do conselho de defesa do consumidor do México. Com as duas marcas de sucos mais fortes do mercado, a Coca Cola opta pelo Del Valle Mais, com ênfase à primeira, de renome mundial.

Crise e o mercado

A desconfiança do investidor em momentos de crise faz com que estes reduzam seus investimentos de risco, como as ações de bancos. Ruim para as empresas de países emergentes (que passam a clamar por emergência). Pior para a população, que sofre com a falência de instituições e vê a concorrência ruir com as junções. O oligopólio (domínio de poucas empresas) diminui a concorrência e faz do consumidor refém de uma minoria sequestradora em posse da situação: o mercado.

IU Banking: um gigante nascido em meio à crise. Crédito: Época Negócios.

IU Banking: um gigante nascido em meio à crise. Crédito: Época Negócios.

O IU Banking, a fusão entre Itaú e Unibanco, reduz o setor de bancos privados no Brasil, agora dominado pela nova instituição, pelo Bradesco e pelo Santander. Diminuem as opções de crédito bancário com um menor número de empresas. E com o crédito alto, os investimentos se tornam mais comedidos. Ruim para a economia, que produz menos e eleva o preço.

Outra grande “fusão” foi a BR Foods, junção da Sadia com a Perdigão. O que foi chamado pelo mercado de união, na verdade foi uma aquisição da potência Perdigão, que anos atrás quase se tornou empresa do Grupo Sadia. Uma vitória do Chester sobre o Peru. Mais uma derrota do consumidor, já que a união torna a empresa a maior processadora de carne de frango do mundo e força hegemônica no mercado de congelados (de preços quentes) no Brasil.

Um novo cenário

Com fusões em diversos setores, o capitalismo caminha rumo à negação de um de seus ideais: a livre concorrência. E a fim de minimizar a ajuda às empresas endividadas, o governo permite operações como essas, que entregam o mercado a poucos. Uma saída seria estatizar, o que gera ônus aos cofres públicos. Contudo, dá ao consumidor a oportunidade de perder algumas horas no supermercado, pesquisando preços.

O fortalecimento das empresas  confere a elas uma sobrevida e  garante parte significativa dos empregos. Em contrapartida, com o restabelecimento do consumo, as  novas gigantes começam a nortear o mercado, com sua força e mínima concorrência. Neste momento, a população sente o fardo da crise, que dói mais nos dedos do trabalhador, inchados de tanto subtrair, do que nas contas do empresariado. Seja aqui ou onde Judas perdeu a esperança!

Lucas Fernandes

Economia, Educação, Painel e Política

Anúncios

Uma resposta para “Fusões e crise: uma combinação perigosa

  1. Abilio Jorge de Oliveira e Silva

    Excelente matéria, nos alerta para o perigo da formação dos oligopólios.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s