O blog recorda a morte de um pioneiro

Estátua de Oliver Cromwell, em frente ao Palácio de Westminster (Londres). Crédito: Wikipédia

Estátua de Oliver Cromwell em frente ao Palácio de Westminster (Londres). Crédito: Wikipédia

Por malária ou envenenamento? Até hoje, não se sabe. É fato, porém, que o inglês Oliver Cromwell faleceu há exatos 351 anos. Motivos para envenená-lo não faltavam. Afinal, o sujeito foi o pioneiro na usurpação de uma monarquia absolutista europeia – neste caso, a inglesa. Com ideais parlamentares e puritanos, Cromwell aderiu ao exército somente aos 43 anos. Tempos depois, substituiu o conde de Essex no comando das tropas.

Seu antecessor era, acima de tudo, um pessimista. Ele dizia: “Se vencermos o rei cem vezes, ele ainda será o rei. Mas, se ele nos derrotar uma única vez, seremos enforcados”. Cromwell, entretanto, nunca ligou para isso. Após duas guerras civis, ele esteve à frente do processo de destituição da monarquia absolutista. Pela primeira vez na história inglesa, um monarca era julgado. Aos 30 de janeiro de 1649, o rei Carlos I foi decapitado. E logo a Inglaterra virava uma república parlamentarista.

Apesar de ser visto de uma forma positiva por muitos, Cromwell também errou. Alguns entusiastas irlandeses da monarquia ofereceram resistência às ações do militar. Ele, em reação, ordenou um massacre de 3500 pessoas na cidade de Drogheda, na atual República da Irlanda. Além disso, em 1653, o político dissolveu o parlamento e tornou-se um ditador, chamado Lorde Protector. Incomodando tanto nos acertos e insistindo tanto nos erros, Cromwell morreu em 1658 de modo ainda desconhecido.


Oliver foi sucedido por seu filho, Richard Cromwell. De pulso mais fraco, o novo Lorde Protector não aguentou mais do que oito meses no comando da política inglesa. Foi formado um outro parlamento, que decidiu pela volta da monarquia dos Stuart, de poder absoluto. Entretanto, este sistema de governo cairia ainda no século XVII, através da conhecida Revolução Gloriosa.

Por isso, Oliver Cromwell talvez seja um dos grandes responsáveis pelo desenvolvimento precoce do parque industrial inglês. Ele fez balançar o Antigo Regime na Inglaterra e, de forma indireta, aguçou os interesses que seriam expressos quatro décadas após a sua morte na Declaração dos Direitos dos Cidadãos (Bill of Rights). Burgueses, por exemplo, devem muito ao pioneirismo de Oliver Cromwell. Ele não foi o pai, mas, certamente, foi o bisavô da Revolução Industrial.

Daniel Leite  Editor de Educação e Esportes

Anúncios

Uma resposta para “O blog recorda a morte de um pioneiro

  1. Olha, hoje estou pesquisando sobre a história (de Cromwell) e a manhã vou ter prova!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s